sábado, 15 de julho de 2017

PALAVRA DO PÁROCO


“Manter com espírito renovado o sonho de Santo Agostinho de viver como irmãos com um só coração e uma só alma” (Papa Francisco)

Queridos Paroquianos!

Chegamos ao mês de Julho e nosso ano civil e litúrgico segue firme. Depois da nossa tradicional quermesse, teremos um tempo de descanso e renovação de forças. Na Igreja também, após o tempo da quaresma e da Páscoa, continuaremos caminhando no Tempo Comum celebrando a Páscoa semanal. Quero aproveitar este mês e colocar alguns recortes da mensagem do nosso Prior Geral, a respeito da nossa Ordem.

Neste ano de 2017 a ordem agostiniana celebra o ano da santidade, “CHAMADOS À SANTIDADE”, que é, sobretudo, dom do Espírito, presente de Deus, motivo de gratidão e esperança. O Ano da Santidade é um tempo do Espírito para a Ordem, um tempo de graça para toda a Família agostiniano-recoleta e uma grande oportunidade para cada um de nós. O Senhor te chama, seja qual for a tua idade e situação concreta, com saúde ou sem ela, religioso ou leigo, a ser santo. Chama-te a abrir o coração a seus dons e a não ficar na mediocridade e na desídia que corrói o coração e paralisa o apostolado. Chama-te a viver a alegria do Evangelho e a contagiá-la com esperança. O Pai convida-nos a fazer parte de seu povo santo. O “caminho” é Cristo, o Filho, o Santo de Deus: ninguém pode chegar ao Pai senão por ele. Todos nós somos chamados a seguir Jesus, a nos encontrar com ele e a estar unidos a ele. A santidade é viver plenamente a fé e o amor.

PROCESSO DE REVITALIZAÇÃO DA ORDEM - Alcemos e abramos os olhos para ver o que o Senhor está fazendo e quer fazer atualmente na Ordem e na vida cada um de nós. Com a esperança posta em sua misericórdia, reconheçamos a confiança que deposita em nossas pobres mãos para construir o futuro. Com a união de Províncias, a reestruturação de organismos e o reajuste de ministérios pretendemos que as estruturas facilitem viver mais intensamente o espírito evangélico do carisma que temos recebido. Não podemos continuar subsistindo encerrados em nossos muros e atados ao conformismo com o pretexto do “sempre se fez assim”. Sentimos com preocupação que haja irmãos desanimados, quando há tanto que fazer; e nos dói que persista a hemorragia de irmãos que abandonam a comunidade. A conversão é mudança. Para reavivar o carisma que recebemos e a missão da Ordem precisamos mudar as estruturas, mudar as atitudes e os comportamentos. A revitalização passa pelo encontro com Jesus e em deixar que ele seja o centro de nossa vida.

UM PROJETO COMUM - Para sermos criadores de comunhão, o Capítulo Geral nos propôs o Projeto de Vida e Missão 2016-2022. Com este projeto desejamos responder ao que a Igreja espera de nós. Deixemos os protagonismos e particularismos, e unamos forças. Não precisamos nem de juízes nem de espectadores; fazem falta irmãos que vivam com alegria sua vocação, compartilhem com singeleza o que têm e se apaixonem com sua missão. A cada um naquilo que lhe toca. Não mudariam assim nossas comunidades? Os secretariados gerais, as comissões, os institutos e conselhos têm uma grande tarefa. Sua metodologia é reconhecer, interpretar e eleger com o fim de levar a cabo as decisões do Capítulo Geral. Ademais, têm que revisar os estatutos e estar em comunicação com as diversas províncias.

GRATIDÃO E DISPONIBILIDADE - Não podemos nos fechar em nossos problemas. Não há pior cego que o que não quer ver a obra de Deus. Temos que agradecer, a cada dia, na Eucaristia, o fato do Senhor seguir abençoando e confiando nos Agostinianos Recoletos. O Papa Francisco nos exortou “a manter com espírito renovado o sonho de Santo Agostinho de viver como irmãos com um só coração e uma só alma” (Regra 1, 2), que reflita o ideal dos primeiros cristãos e seja profecia vivificante de comunhão neste nosso mundo, para que não haja divisão, nem conflitos nem exclusão, mas reine a concórdia e se promova o diálogo. Unamos neste ano nossas vozes e nossos corações para dar graças ao Senhor que nos chama à santidade e nos envia a anunciar o Evangelho. Que acolhamos também hoje com humildade os dons do Senhor como o fizeram em seu tempo Santo Agostinho e todos os santos da Ordem.

Por fim, quero agradecer a todos que ajudaram para que nossa quermesse fosse um sucesso. Sei que tivemos inúmeras dificuldades no decorrer do mês, mas as graças e bênçãos foram maiores. O resultado de participação e de arrecadação mostra bem como foi importante realizarmos nossa quermesse doando um pouco da nossa vida. Que Deus continue iluminando a todos e que Nossa Senhora de Lourdes proteja as nossas famílias neste mês de julho!


Frei Alcimar Fioresi, OAR


Jornal Online “A Voz de Lourdes” – Julho de 2017
Compilação e Edição: Sérgio Bonadiman - Revisão e Publicação: Dermeval Neves
Responsabilidade: PASCOM Paróquia Nossa Senhora de Lourdes - Vila Hamburguesa – SP
Site da Paróquiahttp://www.pnslourdes.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário