domingo, 1 de janeiro de 2017

NOTÍCIAS DA IGREJA: ARQUIDIOCESE DE SÃO PAULO

Em Romaria: Dom Paulo Evaristo, uma vida de esperança

 


Cidade do Vaticano (RV) – “De Esperança em Esperança” era o lema episcopal de Dom Paulo Evaristo Arns, falecido aos 95 anos no dia 14 de dezembro.

Considerado uma das figuras mais destacadas da Igreja católica na América-Latina da segunda metade do Séc. XX Dom Paulo encontrava-se internado desde o dia 28 de novembro passado no Hospital Santa Catarina, na capital paulista, em decorrência de uma broncopneumonia.

Dom Paulo foi criado cardeal em 1973 pelo Papa Paulo VI, tendo sido arcebispo de São Paulo de 1970 até 1998, ano em que renunciou por limite de idade, sendo substituído à frente da arquidiocese paulista – a terceira maior do mundo (após Cidade do México e Guadalajara) – pelo Cardeal Claudio Hummes.

Considerado uma das figuras mais eminentes da Igreja latino-americana, o Cardeal Arns foi um dos grandes articuladores da eleição de João Paulo II no Conclave de 1978.

Franciscano de origem alemã, Dom Paulo foi um dos principais defensores dos direitos humanos durante a ditadura militar que governou nosso país entre 1964 e 1985, período em que ajudou muitos perseguidos também de outros países latino-americanos.

Dom Paulo era o último dos cardeais em vida criados pelo Papa Paulo VI (também o Papa emérito Bento XVI foi feito cardeal pelo Papa Montini).


 

Mensagem de Pesar do Papa Francisco pela morte do Cardeal Arns



Exmo e Revmo Dom Odilo Pedro Scherer
Cardeal Arcebispo de São Paulo

Recebida com grande pesar a notícia da morte do venerado irmão  Cardeal Paulo Evaristo Arns venho exprimir-lhe a si e  bispos  auxiliares, ao clero, comunidades religiosas e fiéis da Arquidiocese  de São Paulo, bem como à família do falecido, meus pêsames pelo desaparecimento desse intrépido  pastor, que no seu ministério  eclesial se revelou autêntica testemunha do Evangelho no meio do seu povo, a todos apontando  a senda da verdade, na caridade e do serviço à comunidade em permanente atenção pelos mais desfavorecidos.

Dou graças ao Senhor por ter dado à Igreja tão generoso pastor e elevo fervorosas preces para que Deus acolha na sua felicidade eterna este seu servo bom e fiel, enquanto envio a essa comunidade arquidiocesana que chora a perda do seu amado pastor e à Igreja do Brasil, que nele teve um seguro ponto de referência, e a quantos partilham esta hora de tristeza que anuncia a Ressurreição, uma confortadora bênção apostólica.

FRANCISCO P.P.

Tendo sabido do falecimento do Cardeal Paulo Evaristo Arns, desejo testemunhar minhas condolências a Vossa Eminência e toda essa comunidade que ele apascentou durante quase trinta anos, procurando manter alto o farol da fé nos caminhos dos homens, sensível aos fermentos de renovação presentes no contexto eclesial e civil e movido sempre pela preocupação de realizar com fidelidade as orientações conciliares na edificação e consolidação da Igreja. Ao recordar os valiosos serviços por ele prestados à Igreja inteira com grande solicitude pastoral, a minha admiração e fraterna estima tornam-se oração que se une à Vossa pelo falecido Cardeal, invocando junto com o Divino Mestre o Prêmio Reservado aos seus discípulos fiéis. Cardeal Pietro Parolin, secretário de Estado.




Jornal Online “A Voz de Lourdes” – Janeiro de 2017
Compilação e Edição: Sérgio Bonadiman - Revisão e Publicação: Dermeval Neves
Responsabilidade: PASCOM Paróquia Nossa Senhora de Lourdes - Vila Hamburguesa – SP
Site da Paróquiahttp://www.pnslourdes.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário